quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Música de AXÉ

    Antigamente, axé era apenas uma palavra de origem africana que tinha muitos significados e era utilizada para várias situações, era como a Coisa de hoje, mas quando passou a representar estilo musical característico da Bahia... tem quem goste? Claro! Se não tivesse quem goste, a cantora Ivete Sangalo não seria considerada atualmente a maior artista pop brasileira. Comenta se que seu cachê gira em torno de R$350 mil, atualmente o segundo mais caro do país, perdendo apenas para o rei Roberto Carlos (R$500 mil). Ivete tem uma média de dez shows por mês e a depender do perfil do evento (geralmente quando a imagem da artista está atrelada.).
    Em segundo lugar, mas não menos importante temos Claudia Leite com cachês que variam entre R$100 mil e R$120 mil, em média. Também com uma média mensal de dez a doze shows, mas com um diferencial, essa loira não é burra, é uma das empresárias do ramo musical de maior faturamento, só perde pra Ivete no tamanho e na diversidade de investimentos.
    Mas outra questão é referente ao ranking nas playlists de sites como Letras-Terra e Vagalume em que as primeira posições são ocupadas por Ivete Sangalo, Claudia Leite, Banda Eva e Chiclete com Banana. Daniela Mercury, Araketu, Netinho entre outros que fizeram sucesso nos anos 90 quase sumiram da mídia nos anos 2000.
    Ivete foi vocalista da Banda Eva e Claudia da Banda Cheiro de Amor, mas fora elas qual ou quais cantores estão tão em evidência? Digo mais, quais outros cantores de Axé fazem música realmente agradável aos ouvidos? Venhamos e convenhamos, músicas tipo "Dança Pro Papai" e "Chora" não são feitas para refletir sobre a vida e sim "quebrar tudo".
    Se for fazer um apanhado dos títulos das músicas de alguns grupos/cantores que fazem sucesso no Brasil todo, não só na Bahia, as letras falam de amor, alegria e não de sacanagem. "Amor Eterno" (Terra Samba), "Magalenha" (Carlinhos Brown), "Tchau, I Have To Go Now" (Jammil e Uma Noites) e Vem Meu Amor (Ivete Sangalo) são exemplos que axé de verdade tem letra, tem conteúdo e ainda um rítimo que não te deixa ficar quieto.
    Outras letras são um tanto confusas, ao menos pra mim, como "Pau que nasce torto/ Nunca se endireita/ Menina que requebra/ A mãe pega na cabeça", "Olha pra frente, pra frente/ Cintura, cabeça, Tchubirabiron (8x)"... isso quando não pegam uma música que está fazendo sucesso e muda pra axé.
    Pra mim, música de axé é igual a funk, já teve uma época boa, com conteúdo bacana e teve uma época ruim, só pra requebrar e músicas ou sensuais ao extremo ou sem criatividade. Tem muitos cantores/bandas que fazem coisa boa e tem muitos que fazem música ruim. Pra encerrar, quem cresceu depois de 2000 e acha que "Ai se eu te pego" é um chiclete, você deveria ter ouvido "Na Boquinha Da Garrafa" (Companhia do Pagode), nem vou comentar muito, pergunta pra uma tia ou pra sua mãe o que foi aquilo.

Só sei que "o Araketu, quando toca, fica todo mundo pulando que nem pipoca"...
Obrigado e boa leitura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê-nos a sua opinião