domingo, 19 de janeiro de 2014

Estrangeirismo é ruim, mas até que ponto?

    Muita gente faz campanha contra estrangeirismo, não é xenofobia; o fato de constar numa vitrine "50% OFF" ou se referir a um livro como "best-seller" para alguns é um descalabro. Valorizar a língua nacional, impedir que as modas linguísticas estrangeiras contaminem o falar nacional, entre outras argumentações são  usadas para se referir à negação de palavras e expressões de outras línguas.
    Ora o Português é originado do Latim, língua falada cerca de um ou dois séculos na Itália, por todo império romano e como língua oficial da Igreja Católica, mas as pessoas que habitavam a península ibérica (como em todas as partes do império romano) não tinham o pudor de falar o latim errado. De tanto falar errado o latim vulgar, passaram a falar o Galego-Português que com o tempo passou a ser Português. Posto que as línguas naturais não têm limites fixos, as pessoas são livres para dizer o que querem e como querem.
    Tem gente que é tão relaxada que faz tudo "à la vonté" ( o correto é "à la volonté"), mas tem tanta gente pedindo "hot-dog" por causa da novela que deixaram de comer cachorro-quente, mas se é para abolir os estrangeirismos deveríamos parar de chamar o "garçon", não podemos prestar atenção ao "reporter" e fazermos como nossos amigos portugueses que usam um rato ao invés de "mouse".
    "Flirt" não existe em língua portuguesa e foi tomada como empréstimo do inglês para as situações em que duas pessoas ficam...flertando, oras... não há motivos para ficar "estressado" com essa história de ficar fazendo hiper correção de algo que é inevitável numa língua natural.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê-nos a sua opinião