terça-feira, 7 de outubro de 2014

Quando é Conotação ou Denotação?

 
Aí vem aquela pergunta: Isso tem sentido Denotativo ou Conotativo? Mas você sabe o que é conotação e denotação? Denotação é o que chamamos “significado de verdade”.

(1)
- O que é braço?
- Ora, o braço é uma parte do corpo humano, membro superior.

Tomando esse exemplo, temos que a palavra em questão é uma coisa sem dupla interpretação.

(2)
- O que é “braço direito”?
- Depende... pode ser o braço, que é parte do corpo humano, membro superior, que fica no lado direito, ou, pessoa de alta confiança de outrem.

Diante dessa segunda situação, temos que o termo “braço direito” pode assumir dois significados.

(3)
O braço de mar estende-se por vários metros.

Agora temos uma frase em que o termo destacado não tem nada a ver com a parte do corpo, ao contrário, é um trecho de mar que avança terra adentro.

Nos dicionários, de boa qualidade, a primeira referência à entrada é no âmbito denotativo e, em alguns casos, seguido de seu sentido conotativo.

No dicionário Aulete, temos o seguinte resultado para “Cabeça”:

1. Anat. Parte superior do corpo humano e superior ou anterior do corpo de outros animais vertebrados, e que contém o cérebro e os órgãos da visão, audição, olfato e paladar. [Aum.: cabeção, cabeçorra.]

2. Anat. Zool. Parte onde ger. ficam os olhos e a boca no corpo dos invertebrados.

3. Pop. Crânio

4. Pop. Cabelos, couro cabeludo: Lava a cabeça todos os dias

5. Anat. Nome dado às extremidades arredondadas, ou mais largas, de algumas partes do organismo, tais como as de certos ossos (cabeça do fêmur).

6. Fig. Capacidade de raciocinar ou de criar no pensamento; INTELIGÊNCIA: Use a cabeça para encontrar uma solução

7. Fig. Capacidade para decidir, para escolher corretamente, sensatamente; BOM-SENSO; JUÍZO: Fica nervoso e perde a cabeça.

8. Fig. Lembrança, memória: Aquela cena não lhe sai da cabeça.

 [...]

Ver mais em Cabeça.

Temos em 1, 2 e 5 uma resposta mais imediatista, sem possibilidade de duplo sentido nem alteração da significação básica da palavra, mas em 6, 7, e 8 temos um “desvirtuamento” do sentido original e temos assim um uso conotativo.
Normalmente expressões populares e gírias estão em sentido conotativo, por vezes a literatura também toma a conotação como recurso para impactar de forma diversa o leitor. Expressões do tipo:
Pé no saco.
Minhoca na cabeça.
(fulano é um) Coxinha.
Água com açúcar.

Não são tomadas ao pé da letra e por isso todas têm sentido conotativo. O problema é quando uma frase diz:

(4)
João quebrou a cara quando chegou ao trabalho.

(5)
Ele é um doente.

(6)
Estou com o pé na lama.

Há expressões que têm sentido literal e sentido figurado a depender do contexto. Muito cuidado ao escrever textos que não podem causar ambiguidade, redação de concurso, texto jornalístico, memorandos etc.

Espero ter ajudado com mais esse texto.

Obrigado e boa leitura!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê-nos a sua opinião