sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Gramática - Introdução

    Ah, a temível Gramática. Há quem diga que ela tem a finalidade de orientar e regular o uso da língua, estabelecendo um padrão de escrita e de fala baseado em critérios variados, dentre eles:

- Exemplo de bons escritores;
- Lógica;
- Tradição;
- Bom senso.

    Pois bem, se ela se baseia em bons escritores, o que faz com que pessoas sejam bons e maus escritores? Um gramático ao escrever seu manual se utiliza de frases de autores consagrados na literatura para justificar esta ou aquela recomendação de escrita ou fala.
    Lógica é por definição a "forma de raciocinar coerente, em que se estabelecem relações de causa e efeito"; ora se isso fosse algo tão simples como a Gramática Tradicional (GT) propõe, como tratar da Lógica aristotélica, Lógica booliana, Lógica das proposições, Lógica dialética, Lógica difusa, Lógica formal, Lógica fuzzy, Lógica matemática, Lógica material, Lógica modal, Lógica polivalente, Lógica transcendental?(olha que nem mencionei as diversas ramificações de cada uma).
    "O que hoje é tradição um dia já foi novidade" é a fala de Tevye interpretado por Chaim Topol no filme Um Violinista no Telhado. Falar/escrever "você" era impensável no século XIII que dirá usá-lo como pronome pessoal do caso reto. O problema é que como as GT's demoram muito a aceitar certos usos da língua, determinadas formas ficam estigmatizadas e podem levar ao preconceito social.
    O que é Bom Senso? Para alguém uma frase ou palavra pode ser normal ou ser ofensiva. Se tentarmos taxar escritores por bom senso, então A. Garrett deveria ser crucificado! A escrita de Viagens na minha terra é confusa e não tem bom senso(aparente).
    Sabemos que essas normas definem a língua padrão de um povo, a chamada língua culta ou norma culta. Dessa forma, para falar e escrever segundo a Norma Padrão Culta, é preciso recorrer à GT. Mas... Por ser sempre dinâmica, muitas vezes ocorre um distanciamento entre o que se usa efetivamente e o que prescreve a norma culta padrão. Imprecisa ou não, existe uma norma culta padrão, a qual deve ser conhecida e aplicada nos momentos adequados.
 
Tipos de Gramática
1. Gramática Normativa
É aquela que busca a padronização da língua, estabelecendo as normas do falar e escrever corretamente. Costuma ser utilizada em sala de aula e em livros didáticos.  
2. Gramática Descritiva
Ocupa-se da descrição dos fatos da língua, com o objetivo de investigá-los e não de estabelecer o que é certo ou errado. Enfatiza o uso oral da língua e suas variações.
3. Gramática Histórica
Estuda a origem e a evolução histórica de uma língua.
4. Gramática Comparativa
Dedica-se ao estudo comparado de uma família de línguas. O Português, por exemplo, faz parte da Gramática Comparativa das línguas românicas.
5. Gramática gerativa/generativa Descrição de uma língua segundo um modelo formal de regras fixas e explícitas, capaz de gerar todas as - e somente - frases gramaticais dessa língua. Especificamente, teoria sintática gerativista do filólogo Noam Chomsky.
6. Gramática transformacional
A gramática gerativa, nela considerada também a ideia de transformação da língua de sua estrutura profunda (a noção abstrata do que ela quer exprimir) para sua estrutura superficial (o uso efetivo se seus elementos, em nível de frase - palavras. elementos e estrutura sintática -, para expressá-lo).
7. Gramática universal
Na visão do filólogo Noam Chomsky, a faculdade do homem que permite, em certa fase de seu desenvolvimento mental e o de seu contexto social, adquirir a linguagem materna (a que esteve exposto nos estágios mentais iniciais da vida). Conjunto de princípios universais aos quais se condicionam a forma e o funcionamento de qualquer gramática.

Divisão básica da Gramática:
Sabe-se que a língua é um sistema tríplice: compreende um sistema de formas (mórfico), um sistema de frases (sintático) e um sistema de sons (fônico). Por essa razão, a Gramática tradicionalmente divide-se em:
Morfologia - abrange o sistema mórfico.
Sintaxe - enfoca o sistema sintático.
Fonologia/Fonética - focaliza o sistema fônico.

Observação:
Alguns gramáticos incluem nessa visão uma quarta parte, a Semântica, que se ocupa dos significados dos componentes de uma língua.

Pensa que acabou? Só está começando, maiores discussões serão tratados posteriormente.

Obrigado e boa leitura.

Baseado em:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê-nos a sua opinião